RANDOPÉDIA – (F.A.Q.)

Vamos falar sobre a modalidade como um todo e tirar suas principais dúvidas!

Essa página segue uma estrutura de tópicos agrupado pelos seguintes temas:

1- A MODALIDADE
1.1 – TERMOS USADOS
1.2 – AS ENTIDADES
2- OS TIPOS DE PROVAS
2.1 – OS TÍTULOS / DISTINÇÕES
3- O QUE É NECESSARIO PARA A PRÁTICA
4- COMO É A PROVA
5- REGULAMENTO
6- CARRO DE APOIO
7- HOMOLOGAÇÕES
8- PENALIDADES

1. A MODALIDADE

O Audax Club Parisien, que é a entidade base da modalidade, foi fundado em 1904. Sua fundação se segue ao legado do Brevets Audax Cyclistes criado por Henri Desgrange, que também foi o primeiro organizador do Tour de France. O ACP foi criado com o objetivo de incentivar o desenvolvimento do cicloturismo, educar os ciclistas, torná-los entusiastas, viajantes experientes e com capacidade de organizar excursões.
Em 1905, é confiada ao ACP a organização dos Brevets Audax importados da Itália, seguiram-se 16 anos de prosperidade na modalidade.
Em 1921, em decorrência da ajuda prestada pelo ACP ao “L’Echo des Sports” – um jornal concorrente do “L’Auto” (que adquiriu o Brevets Audax) – para a organização do Polymultiplied of Chanteloup, Henri DESGRANGE retira a organização do Brevets Audax do AUDAX CLUB PARISIEN.

Com isso, nasce um novo clube: “Union des Audax Club Parisiens” – (UAF) – ao qual o jornal l’Auto vai confiar a organização das patentes Audax.
Em contrapartida ocorre a criação, dentro do AUDAX CLUB PARISIEN, do Brevet Randonneur Français “à allure libre” (ritmo livre).

Alguns fatos históricos:

1.1 – OS TERMOS USADOS

O que significa Randonnée ?

– tradução: Passeio, caminhada.
Obs.: Em termos de desafio é considerada a prova de longa distância, não-competitiva, individual , de ritmo livre de autossuficiência homologado pelo Audax Club Parisien.

O QUE É UM Randonneur?

– tradução: é quem pratica/realiza o passeio, a caminhada.
Obs.: São os ciclistas que praticam a modalidade chamada “Randonnée”.

Randonneuse – é o feminino de Randonneur

O QUE SIGNIFICA Audax?

–  tradução: Audaz, corajoso.
Obs: Em termos de desafio é considerado comumente como uma prova de longa distância não-competitiva, de pelotão, com ritmo imposto e de autossuficiência homologado pela Union des Audax Français.

O QUE É UM Brevet ?

– tradução: Patente, Atestado de capacidade.
Em relação ao ciclismo é uma prova que homologa a capacidade de um ciclista de percorrer uma distância específica dentro de um tempo máximo determinado.

1.2 AS ENTIDADES:

Quando falamos de Brevet Randonnée ou de Brevet Audax, falamos das entidades que promovem essas provas.

NO MUNDO:

  • Audax Club Parisien (ACP) – Entidade máxima que regula toda modalidade Randonnée ao redor do mundo. Incluindo, BRM, SR600km, Flèches, etc;
  • Les Randonneurs Mondiaux (LRM) – Braço do ACP que regula os LRM1200km+ (as vezes chamados de Super Brevets) em todo mundo;
  • Union des Audax Français (UAF) – Entidade máxima que regula os Brevets “Audax” ao redor do mundo.

    NO BRASIL:
  • Randonneurs Brasil – Entidade máxima nacional, que supervisiona o atendimento às regras francesas ditadas pelo Audax Club Parisien, além de fazer todo o contato com o mesmo. Responsável pelo encaminhamento das homologações, solicitações de medalhas e qualquer outro tramite junto ao clube francês tem em seu responsável o gaúcho Roberto Trevisan;
  • Audax Brésil – Entidade que regula os eventos de acordo com as regras da Union des Audax Français , e o seu representante, o também gaúcho Luiz Faccin, responsável pelos eventos em nosso país.

    Na sequencia dessa corrente da modalidade temos os clubes organizadores.
NOSSO CLUBE:

Les Gauchos Randonneurs é um clube de ciclismo que registrado sob o ACP CODE 980059, sediado em Gravataí/RS e que promove desafios regulamentado de acordo com as entidades acima. Apresentamos também ao público provas independentes de menor duração/distância, como forma de trazer novos adeptos ao ciclismo de longa distancia.

2. OS TIPOS DE PROVAS

Inicialmente vejamos a grande diferença entre os Brevets Randonneurs e os Brevets Audax.

  • BREVET RANDONNEUR MONDIAUX (BRM) é um evento não competitivo e de longa distância, onde o principal objetivo é percorrer rotas pré-estabelecidas dentro de um determinado limite de tempo, de forma autossuficiente (sem qualquer tipo de apoio externo), utilizando-se veículos de propulsão exclusivamente humana e em seu próprio ritmo.
    No Randonnée temos uma sequencia de 5 Brevets Randonneurs Mondiaux, que tem as seguintes características:
DISTÂNCIATEMPO LIMITE
200km13h30
300km20h
400km27h
600km40h
1000km75h

Obs.: Inicialmente, tínhamos uma sequencia crescente de brevets, que era obrigatória para atingir os eventos de maior distancia. Hoje realizar a série de brevets em ordem crescente não é mais obrigatória no Brasil.

  • BREVET AUDAX (UAF) – é também um evento não competitivo de longa distância, porém o andamento é imposto, conduzido e controlado por “capitães de rota”, que regulam a velocidade do grupo, variando de 20 a 25km/h de acordo com o perfil do percurso.

Ambas modalidades são apaixonantes e possuem seus pontos positivos e negativos… alguns ciclistas sentem-se mais a vontade pedalando no seu próprio ritmo (BRM) enquanto outros preferem a segurança de estar em um grande grupo guiado (AUDAX).

  • SUPER RANDONNÉE (SR600km) – é uma prova diferenciada no universo Randonneur, consiste em uma pedalada com 600 km e no mínimo 10.000 m de escalada acumulada. É um Brevet permanente, significa que não tem uma data fixa para sua realização, os próprios participantes decidem quando irão pedalar o percurso.
  • LES RANDONNEURS MONDIAUX (LRM) – em termos de prova são eventos de distancias de 1200km ou superiores (conhecidas em alguns países como Super Brevets) nas quais seguem os mesmos princípios do Randonnée porém com cálculos de distancia um pouco diferentes:
DISTÂNCIAMÉDIA MÍNIMADISTÂNCIA DIÁRIA
1200 a 1299km13,33km/h319km/dia
1300 a 1899km12km/h288km/dia
1900 a 2499km 10km/h240km/dia
2500 ou mais8,33km/h200km/dia
Obs.: Quando há altimetria elevada na rota, existe a possibilidade de incremento no tempo total da prova. Acima de 11m de altimetria por quilômetro rodado, o organizador pode solicitar tempo extra. Normalmente baseado em 5% de incremento de tempo, para cada 1m de escalada que excedam os 11m/km anteriormente citados.
  • PARIS – BREST – PARIS (PBP) – É a maior prova do randonnée mundial, tem 1200km e acontece a cada 4 anos, onde aproximadamente 6000 ciclistas (número que aumenta a cada edição) de todo mundo se reúnem para confraternizar e se desafiar num evento promovido pelo próprio Audax Club Parisien.
    Pode ser pedalado em três opções distintas de tempo, à escolha do participante: 80, 84 e 90 horas máximas.
    O processo de inscrição passa por duas etapas: um ano antes se define as primeiras vagas através de uma pré-inscrição que leva em conta a prova de maior distancia homologada pelo ciclista naquela série. No ano do PBP, o ciclista necessita confirmar a inscrição conquistando uma série SUPER RANDONNEUR no mesmo calendário da prova.
  • FLÈCHES/TRACES NACIONAIS – Flèches Nacionais são eventos anuais realizados em várias regiões e países durante a primavera, onde equipes de ciclistas (entre 3 e 5 participantes) se direcionam até um destino comum, saindo de vários pontos de partida. Equipes pedalam durante 24 horas para cobrir a maior distância possível (pelo menos 360 km). Após o evento, todos os participantes se encontram e celebram juntos.
    Enquanto que a Trace é um evento para equipes que acontece paralelamente à Flèche, mas com uma distância menor e com uma parada noturna de 8 horas.

2.1 OS TÍTULOS / DISTINÇÕES

Durante as provas, dentro do Randonnée, os ciclistas que obtiverem sucesso em uma sequência específica de provas poderão alcançar alguns títulos/ distinções homologadas pela ACP, as quais são homenageados com medalhas e em, alguns casos, certificados especiais:

  • SUPER RANDONNEUR (fem.: SUPER RANDONNEUSE) – título dado ao ciclista que completou com sucesso, dentro de um mesmo calendário anual ACP, as seguintes provas:
    – BRM 200km;
    – BRM 300km;
    – BRM 400km;
    – BRM 600km.
  • RANDONNEUR 5000 (RD5k) – título dado ao ciclista que completou com sucesso, dentro de um período de 4 anos, as seguintes provas*:
    – BRM 200km;
    – BRM 300km;
    – BRM 400km;
    – BRM 600km;
    – BRM 1000km;
    – Flèche;
    – PARIS-BREST-PARIS.
    * e outras distâncias homologadas para complementar os 5000km exigidos.
  • RANDONNEUR 10000 (RD10k) – título dado ao ciclista que completou com sucesso, dentro de um período de 6 anos, as seguintes provas*:
    – 2x BRM 200km;
    – 2x BRM 300km;
    – 2x BRM 400km;
    – 2x BRM 600km;
    – 2x BRM 1000km;
    – Flèche;
    – SUPER RANDONNÉE 600km;
    – PARIS-BREST-PARIS;
    – LRM 1200km (ou maior, diferente do PBP)
    * e outras distâncias homologadas para complementar os 10000km exigidos

3. O QUE É NECESSÁRIO PARA A PRÁTICA

  • QUAIS SÃO OS ITENS DE SEGURANÇA SÃO OBRIGATÓRIOS?
    – Do ciclista: capacete e colete refletivo;
    – Da bicicleta: farol dianteiro (de luz branca), farol traseiro (luz vermelha);
    – Cobertor de emergência (acima de 300km).
    Importante: Qualquer fonte de luz , seja farol dianteiro ou traseiro, deverá estar numa posição visível (jamais encoberta por bolsas, etc) e ficar ligado em modo contínuo durante todo período da pedalada em condições de baixa visibilidade (JAMAIS NO PISCANTE, mesmo que seja uma fonte adicional/redundante) SOB PENA É A DESCLASSIFICAÇÃO.”
  • LUZ NO CAPACETE PODE?
    – Pode, mas não substitui nem farol dianteiro nem traseiro que devem estar afixados na bicicleta.
  • QUANDO PRECISO USAR COLETE REFLETIVO?
    – O colete é obrigatório em qualquer situação de baixa visibilidade e seu porte é obrigatório durante toda a prova. Cada ciclista deve levar o seu e jamais delegar a outro essa função, seja carro de apoio ou mesmo outro participante. A pena da ausência do colete (porte) ou da falta de uso, conforme descrito acima é a desclassificação.
  • QUAIS MODELOS DE COLETES SÃO PERMITIDOS?
    – Qualquer colete que esteja em bom estado de conservação e que seja facilmente visível por todos os lados do ciclista. Isso implica em não usar nada sobre o colete (mochilas, bolsas, etc). Coletes com quantidade pequena de área refletiva são proibidos, sem distinção de condição climática ou distancia percorrida. Os modelos em X são aceitáveis quando a cor da camada de roupa logo abaixo seja de alta visibilidade.
  • QUANDO É NECESSÁRIO LEVAR COBERTOR DE EMERGÊNCIA?
    O cobertor de emergência é necessário em qualquer prova acima de 300km, seja BRM, LRM ou mesmo a SR600km.
  • ONDE ENCONTRO O COBERTOR DE EMERGÊNCIA PARA VENDER?
    – Nas casas de artigos de caça/pesca/camping ou pela internet (Mercado livre, etc).
O QUE É O PASSAPORTE? É OBRIGATÓRIO CARREGÁ-LO DURANTE O EVENTO? 

O passaporte é o documento pessoal do randonneur no brevet. É nele que devem ser registradas todas as passagens pelos postos de controle (PCs) e a chegada do evento. Os registros, seu porte e a boa conservação são de exclusiva responsabilidade do participante e fundamentais para a homologação de cada brevet.

4. COMO É A PROVA

As provas de Randonnée de um modo geral, acontecem de uma forma muito semelhante, exceção é a Flèche que falaremos à seguir.
Para tratar de uma forma mais simples: 
Os ciclistas devem percorrer um trajeto determinado, parando de tempos em tempos para descansar e reabastecer, como uma cicloviagem (onde se usa os recursos disponíveis na estrada). A meta é fazer isso dentro do tempo máximo proposto, parando em locais específicos chamados de PCs (Pontos de Controle) que tem a finalidade de comprovar que o ciclista está rodando a prova de forma adequada, sem atalhos por exemplo. A proposta do Randonnée é que o ciclista possa fazer essa pedalada de forma mais autônoma possível, à seu próprio ritmo. 
No caso da Flèche, que é uma exceção à isso, os ciclistas além de propor a própria rota, seguem em grupos de 3 a 5 participantes e tem o tempo exato de 24h para completar o percurso. A Trace segue o mesmo caminho da Flèche mas com distancia e tempo menor. Nessas provas o sentido é único, tendendo a ser uma reta ligando dois pontos, por isso o nome Flèche (flecha).

As variações em torno disso (distancia, altimetria, etc) formam das particularidades de cada tipo de prova, sejam os BRM, LRM, SR600k tratados anteriormente nesse texto.

4.1 CALENDÁRIO DE PROVAS

A temporada de provas (chamada de SÉRIE) inicia em 01/novembro do ano anterior e segue até 31/outubro do ano a que se refere, em todo mundo. Conquistas, distinções levam em conta esse período como base.
A composição do calendário do Randonnée segue um padrão mundial, regido por orientação da ACP. 
No Brasil, o Randonneurs Brasil, em conjunto com os clubes, compõem o calendário no mês de setembro de cada ano visando organizar as provas da temporada seguinte. O mesmo é divulgado em outubro e segue assim até a composição do próximo.

4.2 DIVULGAÇÃO DAS PROVAS

Esse ponto fica a cargo dos clubes, onde cada um criará o seu projeto e divulgará aos ciclistas, com trajeto, valores, estrutura oferecida, formas de pagamento e demais informações pertinentes. 
Les Gauchos utiliza como base principal de informações o seu próprio site, dando conhecimento e divulgação através das principais redes sociais.

5. REGULAMENTO

Todo regulamento da modalidade é regido, em sua essência, pelo Audax Club Parisien. Em nível nacional, existem pontos adicionais tratados pelos representantes ACP (aqui o Randonneurs Brasil) e em casos específicos também pelos clubes de forma individualizada. 
O ponto aqui é manter a modalidade dentro de sua essência, de forma responsável e segura. No Brasil, onde o transito é mais tenso em relação ao ciclista e em casos como a pandemia da Covid-19 as medidas adicionais dizem respeito direto à segurança, tanto para o ciclista, quanto da comunidade em que estamos inseridos.
Sempre que for cobrada uma luz em modo contínuo ou o uso do colete (ou mesmo mascara de proteção) atentamos a segurança não só do ciclista a quem é dirigida a cobrança, mas de todos em seu entorno.

Para cada tipo de prova promovida pela modalidade existe alguma característica específica que é tratada no regulamento, vale a leitura!
Site do Randonneurs Brasil tem a base traduzida de todo regulamento da modalidade, de forma atualizada.

5.1 CARRO DE APOIO

A permissão de uso de uso de carros de apoio fica à critério dos clubes, aos quais também recai a fiscalização (à exceção da SR600km, onde não é permitido).
Porém, mesmo na sua permissão dentro do Les Gauchos, alguns pontos precisam estar claros àqueles que solicitam a sua utilização:
– Fazer o registro junto à organização, antes da largada;
– Uma vez registrado, o carro de apoio atende às demandas de todos demais ciclistas, se necessário (por exemplo num resgate); 
– O apoio deve der oferecido ao ciclista registrado somente nos pontos de controle oficiais da prova, sob pena de DESCLASSIFICAÇÃO;
– O carro de apoio não deve ficar as margens de nenhuma rua/rodovia/estrada, nem tampouco acompanhar o ciclista no trajeto. Entendemos que o carro de apoio só deva ficar fora dos PCs quando estiver realizando um resgate. A pena é a DESCLASSIFICAÇÃO dos ciclistas vinculados ao carro e daquele que receber o apoio (se forem pessoas diferentes);
– Fotografias, filmagens somente na companhia de outro voluntário do clube;
– A estrutura do evento como um todo, o que inclui o seguro, é oferecida aos ciclistas participantes, não aos carros de apoio.

5.2 PENALIDADES

As penalidades previstas nos eventos do Les Gauchos dizem respeito sempre à manutenção da essência da modalidade, assim como da segurança e do ambiente saudável ao qual se propõe o evento.
As penas previstas vão desde ao incremento no tempo total de prova, desclassificação até o banimento do ciclista.
Vamos as penalidades com incremento de tempo:
RODAR COM LUZ NO MODO PISCANTE, advertência seguido de incremento de tempo de prova (1h), na impossibilidade de corrigir ou mesmo na reincidência: DESCLASSIFICAÇÃO.
USAR MOCHILA (bolsa, etc.) SOBRE O COLETE EM CONDIÇÕES DE BAIXA VISIBILIDADE, advertência seguido de incremento de tempo de prova (2h), na impossibilidade de corrigir ou mesmo na reincidência: DESCLASSIFICAÇÃO.

Penalidades passíveis de DESCLASSIFICAÇÃO:
– Não portar e, quando necessário, não usar item de segurança obrigatório;
– Receber apoio indevido;
– Infração de carro de apoio (ver item 5.1 CARRO DE APOIO);
– Pegar vácuo de ciclistas, ou grupos, que não estejam registrados no evento.
– Não atender à solicitação da organização (apresentar documento de identificação, por exemplo);
– Não atender às leis de trânsito;
– Não cumprir o regulamento da modalidade.

Penalidades passíveis de BANIMENTO:
– Faltar com o respeito com a organização, participantes e com a comunidade em geral;
– Agressão de qualquer espécie;
– Pegar carona ou mesmo vácuo de veículos automotores com o intuito de burlar o desafio;
– Colocar a própria segurança ou dos demais em risco de forma indiscriminada.

À TODAS PENALIDADES NÃO LISTADAS AQUI, O CLUBE É SOBERANO EM DECIDIR SOBRE A MESMA NO ATO E, QUANDO POSSIVEL, COMUNICAR AS PARTES ENVOLVIDAS O RESULTADO.

6. HOMOLOGAÇÕES

As homologações das pedaladas concluídas com sucesso ocorrem após o final do evento (à exceção da SR600km que ocorre no final da série em que se realizou).
Toda documentação relativa ao evento é revisada e catalogada para envio ao Randonneurs Brasil que registra e posteriormente encaminha para o ACP
As homologações são de domínio público e podem ser consultadas no site do Randonneurs Brasil.

Em relação à distinção SUPER RANDONNEUR (vide 2.1), a mesma deve ser pedida dentro da vigência do calendário ao qual pertence. O site do Les Gauchos tem uma área permanente para receber a documentação necessária.

Quanto as distinções de RANDONNEUR 5000 e RANDONNEUR 10000, o clube recebe a documentação em sua caixa de e-mail: lesgauchosrandonneurs@gmail.com e, neste caso, a conquista ficará vinculada ao ano da série vigente na data de envio do e-mail.

ESTA PAGINA RECEBE ATUALIZAÇÕES CONSTANTEMENTE, sugestões de conteúdo podem ser enviadas para o nosso e-mail de contato:

lesgauchosrandonneurs@gmail.com

%d blogueiros gostam disto: